Aceite o presente “como se fosse” escolha sua

Aceite o presente “como se fosse” escolha sua

Certamente você deve pensar: mas eu não escolhi nem concordo com minha situação atual. Como posso aceita-la?

Há grande diferença entre aceitar o presente e concordar com ele.

O tipo de aceitação a que me refiro é a aceitação interna que não implica em concordância nem em ausência de ação para mudar.

É o ato de aceitar internamente o momento presente. Aceitar sua “existência” exatamente como é, com todas as suas imperfeições.

Não é se enganar se dizendo que escolheu que fosse assim, se na verdade não houve escolha. Tenha a plena consciência de que quer sair de uma situação indesejável, mas aceite a “existência” daquela circunstância.

A ideia é abandonar a resistência interior ao que é. Você deve estar se perguntando, mas para que preciso aceitar o presente, afastando a resistência interior a uma situação indesejável?

Porque essa resistência se manifesta através da negatividade emocional que deixa mente e corpo pesados, diminuindo nossa capacidade de raciocinar bem e agir de modo apropriado ao que desejamos.

O problema maior de se agir sem aceitar o momento presente é que as ações decorrentes disso normalmente estão contaminadas de frustração, raiva ou aflição. O mundo e as pessoas passam a ser vistos como uma ameaça e acabamos reagindo de modo intempestivo.

Há necessidade de se fazer um certo esforço para a aceitação interior porque, geralmente, nosso cérebro acha que se aceitar o presente ele irá permanecer exatamente como está; que vou me acomodar; que não vou fazer nenhum esforço para mudar. Mas não é isso que acontece.

Considere a aceitação como conscientização da realidade do modo como se apresenta e daí ter um ponto de partida verdadeiro para realizar uma mudança.

Portanto, se o ato interno de aceitar a situação atual preceder as ações para a mudança, os resultados serão muito mais eficazes.

Aceitando o presente como ele é, sem restrições, não estaremos nos opondo ao fluxo natural da vida. E isso só nos fortalece.

Você também pode gostar

Deixe um comentário