Como obter aquilo que você quer? É simples.

Como obter aquilo que você quer? É simples.

Gosto muito das palestras da escritora e coach Mel Robbins, tanto que é sobre uma delas, ministrada na plataforma do TED (Technology, Entertainment e Design) que quero falar: “Como parar de se ferrar”.

Ela discorre sobre como você pode obter aquilo que você quer, alertando que é simples, mas não fácil.
Ela diz que o maior problema das pessoas para não alcançarem o que desejam é que elas ficam esperando a motivação surgir para então agirem. Estão cheias de ideias, mas não agem. Vivem no piloto automático, na rotina monótona, esperando algo acontecer. Ocorre que essa motivação nunca surgirá, nunca. Você nunca terá vontade de fazer as coisas que você não gosta de fazer, para obter aquilo que você quer.
Explica que, quando crianças, nossos pais faziam o papel de nos obrigar a fazer o que não queríamos para obter o que era preciso, como, por exemplo, tomar remédio, estudar, tomar banho, dormir cedo.
Agora esse papel é nosso.
Temos que nos forçar, fisicamente, a fazer o que é preciso fazer, mesmo sem vontade. É a mesma força que temos que fazer para sair, imediatamente, da cama, pela manhã, quando o despertador toca, sem apertar o botão da soneca.

Para que isso aconteça, temos que sair da nossa cabeça, do nosso murmúrio mental e fazer o que tem que ser feito, independentemente da vontade.

Comecei a praticar isso e tenho obtido resultados bastante animadores.

Faço aulas de dança desde os 13 anos de idade. Apesar de sempre ter sido minha paixão, sempre alimentei os seguintes pensamentos: coitada de mim, não tenho flexibilidade como as minhas colegas de dança; se eu tivesse, seria uma excelente dançarina; seria um sonho; quem sabe um dia vou encontrar um jeito de ser mais flexível. Nas aulas e cursos que eu fazia, sempre tinha vergonha da minha pouca flexibilidade.
Com a maturidade descobri que eu nunca tinha me esforçado de verdade para melhorar essa área. Resolvi fazer diferente. Pensei: apesar do meu corpo não ser mais tão jovem, ele é saudável, quero tentar, qualquer avanço será proveitoso.
Concentrei-me em fazer 6 minutos de alongamento todos os dias, antes de sair de casa, alongando os pontos mais críticos. Dói, cansa, dá preguiça, mas faço. Tem uns 6 meses que pratico isso. Resultado: hoje sou mais flexível que há 25 anos. Apesar de não ter chegado onde eu realmente gostaria, não tenho mais vergonha de fazer nenhuma aula ou curso de dança. Sei que estou dando o meu melhor. Passei a me sentir mais confortável em fazer algo que antes era uma tortura. Foi muito simples, mas nada fácil.
Se eu tivesse feito isso antes, teria sofrido menos, é verdade.

Mas o importante é que consegui mudar minha rotina, minha forma de pensar sobre algo que é tão importante para mim. Só quero aproveitar e dar continuidade. Quem sabe não chego mais longe!
Atualmente estou tentando expandir essa experiência para alcançar outras metas importantes de outras áreas da vida.
Já defini outro objetivo, estou fazendo um pouquinho do que é necessário, todos os dias, tendo vontade ou não. Espero criar o hábito de me desafiar, de experimentar o desconforto para alcançar algo melhor.

Ainda nesta palestra, Mel dá outra dica para se conseguir o que quer, utilizando a regra dos 5 segundos. Sempre que tivermos uma ideia de ação que nos pareça ótima, antes de 5 segundos, devemos fazer algo para colocá-la em prática. Qualquer coisa como conversar com alguém sobre, anotar, enviar mensagem, ligar para alguém. Se deixarmos passar mais de 5 segundos, a ideia morre. Segundo ela, ficaremos espantados com o que acontecerá se conseguirmos seguir esse impulso.

Ainda não testei esse exercício. Mas pretendo. Depois conto no meu blog.

Até!

Você também pode gostar

Deixe um comentário