Diário de Cuiabá: “Coaching e mulheres e mundo melhor”

Diário de Cuiabá: “Coaching e mulheres e mundo melhor”

Recentemente foi publicada no Jornal Diário de Cuiabá uma matéria sobre coaching no mundo contemporâneo, em que eu e a colega de profissão coach Iracema Irigaray fomos entrevistadas pelo querido escritor e mestre em literatura brasileira Marinaldo Custódio.

A matéria na íntegra está no endereço: http://www.diariodecuiaba.com.br/detalhe.php?cod=516798&edicao=15019&anterior=1

Veja alguns trechos da reportagem:

“Para a maioria das pessoas a palavra coaching e seus significados ainda se revestem de uma aura de indagações. O que será mesmo esse tal de coaching? – muitos se perguntam. E é comum que muitos também, nesse sentido, o confundam até com a neurolinguística e a mais antiga e famosa autoajuda.

De acordo com publicações sobre o assunto, o conceito mais próximo do coaching atual surgiu por volta de 1830 na Universidade de Oxford (Reino Unido), designando um tutor particular cuja função era ajudar um aluno a se preparar para uma prova. Todavia, na acepção atual, ele surge nos Estados Unidos, na década de 1960, quando o chamado coaching esportivo passa a ser a ser adotado no mundo dos negócios. A partir daí o conceito veio se modernizando, passando a ser aplicado em algumas organizações, e seus benefícios começam a ser notados e reconhecidos.

No Brasil, é ainda mais recente: só do final da década de 1990 em diante é que essa metodologia ganha aplicação por aqui e, de início, restrita aos ambientes de empresas estrangeiras e multinacionais. Mas, segundo consta, hoje o método já se tornou uma realidade mais palpável e está acessível às pessoas em geral, tanto nos ambientes de organizações sociais e empresariais quanto fora deles.

Para esclarecer um pouco mais o que é coaching e o seu alcance na vida contemporânea, fomos conversar com uma coach consolidada no mercado (Iracema) e com uma quase novata (Elaine). A seguir, um pouco do relato delas.”

“IRRESISTÍVEL É EXTRAIR O MELHOR DAS PESSOAS

No coaching, Elaine Lemos é um tanto precoce: diz que seu despertar se deu quando tinha 14 anos! Em seu primeiro emprego, teve sua primeira “conversa de feedback” com a chefe: “Ela havia me recriminado na frente dos clientes e eu, calmamente e em conversa privada, expus o ocorrido a ela e indaguei se não seria mais adequado ela me corrigir em particular, e por duas razões: uma que eu estava dando o meu melhor e não merecia ser envergonhada na frente das pessoas; outra, que este tipo de exposição não fica bem nem para a imagem dela nem para a da empresa”.

Para Elaine, coaching é uma técnica de desenvolvimento pessoal que se efetiva numa parceria entre coach e coachee (pessoa que recebe o coaching) visando liberar o potencial da pessoa. O coach é aquele (ou aquela) que ajuda outra pessoa a encontrar as respostas de que precisa em si mesma, por meio de perguntas.

A exemplo de Iracema, ela defende que o profissional coach, além de passar por no mínimo uma certificação em escola séria (credenciada pela ICF), deve ter características pessoais específicas para bem exercer a profissão: gostar de gente, ser bom ouvinte, acreditar genuinamente no potencial humano, ter sede por conhecimento, desenvolver a capacidade de não julgar e buscar o próprio autoconhecimento para ciência de suas limitações. Assim, coach é um perguntador que, nesse perguntar, gera aprendizado e alcance de metas.

Elaine, que foi gestora de uma das secretarias de vara do Fórum da Capital, escolheu também ser coach. E aponta sua principal razão: “É natural e irresistível para mim tentar extrair o melhor das pessoas, acreditar que elas podem mais do que imaginam”.

Para se especializar, ela procurou a mais conceituada escola, foi para São Paulo e se certificou pelo Integrated Coaching Institute (ICI). E segue se aperfeiçoando: “Em outubro agora vou passar por uma segunda certificação em coaching, da Gallup”.

Ela sintetiza: “Meu intuito é ajudar o maior número possível de pessoas a se conhecerem, acreditarem em si mesmas e a se moverem em direção aos seus desejos mais valiosos”.

Hoje, atende coachees individuais, é professora do módulo Coaching no curso de Pós-graduação em Gestão de Pessoas da UFMT e ministra palestras/workshops. Publica um artigo por semana sobre desenvolvimento humano no site www.elainelemos.com.br. Também está no Instagram e Facebook como elainelemoscoach.”

Marinado Custódio

Você também pode gostar

Deixe um comentário