Pense e viva 65% do seu tempo no presente

Pense e viva 65% do seu tempo no presente

Paulo Vieira, em seu livro O Poder da Ação, descobriu em suas pesquisas que pessoas bem sucedidas dedicam 65% de toda a sua energia física e psíquica ao tempo presente. Que consideram visitas ao passado como necessárias sim, mas só por poucos momentos, tipo 10% do tempo. E que somente em 25% do dia precisamos pensar no futuro. Acrescenta que esse é um padrão de sucesso foco-temporal que podemos replicar.

Ele explica que, quando não estamos nesse modelo de sucesso podemos estar nos modelos tradicionais de depressão ou de ansiedade. Veja se você se identifica em algum momento.

No de depressão, o comportamento da pessoa baseia-se em eventos passados se alimentando geralmente de lembranças dolorosas. Como se dedica pouco ao presente, suas ações costumam ser improdutivas, pois estão contaminadas pelos pensamentos de fracasso do passado. Com base nesse padrão, pensa no futuro com desesperança.

No modelo de ansiedade, há um esforço excessivo em pensar no que pode dar errado no futuro, gerando insegurança atual. O indivíduo até produz, mas desperdiça energia demais lembrando ora do passado, ora nas possibilidades de insucesso do futuro.

Em suma, excesso de passado pode levar ao desanimo e excesso de futuro à ansiedade. Então, resta buscar atenção em abundância no agora.

Se ficarmos atentos ao tipo de pensamento que temos com mais frequência e detectarmos que estamos funcionando num destes dois últimos modelos, podemos mudar o rumo das coisas redirecionando nossa dedicação para o agora.

Mas porque pensar mais no presente é importante?

Porque a matéria prima que cria meu futuro é o que estou pensando e fazendo agora.

E como ficar mais presente?

Aprendendo a lidar com a sensação de falta e incompletude.

Eckhart Tolle, no livro O Poder do Agora, diz que precisamos ocupar o lugar de observador da mente pensante, de observador do sofrimento, sem avaliar. Porque há inteligência além do pensamento.

Segundo ele, aquilo que realmente importa como amor, beleza, criatividade, alegria e paz interior “surge de um ponto além da mente”.

A mente acostumada a pensar demais no passado e/ou demais no futuro, a pensar demais, de um modo geral, vai insistir em continuar nesse padrão. Cabe a mim interromper essa rotina.

Você pode estar se perguntando, mas minha mente não sou eu? Segundo Tolle não. Estamos num lugar mais profundo que a mente pensante, de modo que é possível observar os padrões repetitivos de pensamento e muda-los.

Eu criei algumas regrinhas no intuito de tentar escapar dos dois padrões de insucesso.

Se eu penso algo ruim do passado, me imagino apertando a luz da tecla “aprendizado” e deixo apagado o botão “vítima”. De tempos em tempos, tento me lembrar de acontecimentos pregressos de sucesso para me energizar.

Se eu me pego pensando de forma negativa no futuro, tento desviar o foco de atenção para o lugar onde estou agora, cadeira, móveis, porque isso que estou fazendo e sentindo agora é que irá criar meu amanhã.

E assim vamos tentando achar o nosso jeito próprio de viver com a mente mais saudável, trabalhando a nosso favor e ajudando a construir hoje o futuro que sonhamos.

Você também pode gostar

Deixe um comentário